sábado, 31 de janeiro de 2015

2+0+1+5=8

2015 será um ano de realizações (8).
Chegar de sonhar, é hora de por em prática todos os nossos sonhos.
vamos lá:
- entrar no mestrado de arquitetura da ufes;
- voltar a fazer inglês;
- ter um escritorio (etc - outro dia explico);
- ter um site;
- ter um cnpj;
- ir ao EUA;
- ia a europa;
- conquistar bons clientes ($$);
- produzir um evento para jovens arquitetos
- produzir um evento de marketing para arquitetos;
- produzir um evento de administração para arquitetos;
- criar uma revista (virtual ou não) sobre a arquitetura capixaba;
- implementar um "programa de formação em urbanidade" (lembra da cartilha?! então...)
- implementar um programa de arquiteto social (????)
- fazer um curso de revit;

Só isso. Quantos meses tem um ano mesmo?! Melhor começar logo...o tempo ruge! Bom ano a todos, que seus sonhos tambem se tornem realidade. 
Bj no S2!

P.S.: se lembrar de mais alguma coisa posto a posteriori.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

só mais um sonho...

não sei porque mas adoro as reticencias...elas sempre me dão a impressão de que vem algo a mais, algo surpreendente, algo...
Este post - sera o ultimo do ano?! - é sobre mais um sonho, um devaneio que tive.
há uns anos, numa excursão do curso de arquitetura a bienal de arquitetura - dã!? - em são paulo, numa noite, nós, estudantes entusiasmados e idealizadores que somos começamos a discutir a "função social da casa cor". O debate foi acalorado e só terminou após um subto apagão (da luz elétrica). Ainda sim, acordamos decididos a tomar uma atitude, assim, na primeira manhã em terras capixabas criamos a comunidade do orkut, denominada "casa sem cor". Uma mostra antagônica a


toda suntuosidade da mostra original.
na época, a casa cor era a principal mostra de arquitetura e decoração do EStado. Hoje, temos a decora lider, a morar mais por menos...
alias, nem por tão menos assim! as principais inovações (na minha modesta opinião) desta mostra são o uso criativo de materiais e a identificação dos preços $$, de todos os itens utilizados pra compor o ambiente, e logicamente, o custo total daquela ambientação. Nessa hora, o primeiro pensamento que emerge é: nem por tão menos assim.
a rebeldia da juventude abrandou-se, mas as questões ainda martelam na minha cabeça...ai, eis quem surge: a ideia. sai: a "casa sem cor", entra; "morar sem cor", ou "casa sem menos", ou "casa por menos", ou "morar mais por menos cor",...o nome não importa, mas sim a ideia:
- uma mostra de arquitetura de interior e exterior
- feita por profissionais em principio de carreira, sem muito $$ capital pra investir, mas muita disposição e muitas ideias
- que seja mais "real", obedeça as dimensões mais praticadas pelo mercado da construção civil capixaba
- quem sabe, clientes reais.
- uma mostra virtual, ou seja, para baixar os custos, nada daquele ambiente em alvenaria, uma planta baixa colorida e em escala real. ao invés de paredes, painéis com imagens tridimensionais, em escala quase real.
- não se paga para entrar nesta mostra
- não se paga para expor nesta mostra
e quem pagará os custos do evento???? quem??? raimundo nonato?
não. o cliente. 
talvez sejamos, arquitetos capixabas, todos medíocres! de médios, não de péssimos. do novo ao antigo, talvez sejamos todos medíocres. comuns pra nós mesmos, como classe, mas deliciosamente competentes para o nosso mercado.
legal né?!
o objetivo de tudo isso é aproximar os clientes de nós, arquitetos. é impulsionar um mercado que sobrevive da indicação, dos nossos familiares, dos nosso amigos, dos nossos clientes, e potencializar nossa relação com os milhares de clientes que estão ai, seja a nova classe c o seja la quem...e no final, quebrar um paradigma, o mesmo proposto lá em 2007 (se não me falhe a memoria) pelo casa sem cor: arquiteto não é só coisa pra rico!!!!

tem pra rico e tem pra não rico. tem pra brega, tem pra tons pasteis.
e um dia, vai ter pra todos. não vai?!?!
bjos nos corações, feliz natalicio, bom principio.

p.s.: as imagens forma as primeiras "oferecidas" pelo sr.google.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

2014

Aquela divida...
Devo e não nego, posto quando puder!

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

o negoço!

Não sei se já contei isso aqui, mas me interesso muito por marketing e administração.
lembro-me de na matricula do pre-vest informei à escola que prestaria vestibular para administração. mas a arquitetura me seduziu e hoje sou loucamente apaixonado por ela. mas, às vezes me pego lembrando daquele antigo desejo.

sou fã do aprendiz e agora não perco um só capitulo de "o negocio". interessante serie da HBO onde 03 belas "empreendedoras do entretenimento adulto" (leia-se prostitutas) aplicam conceitos de marketing para revolucionar o mercado mais antigo do mundo - será?!.
[ixi, acho que este post vai ficar grande.]


um episodio em especial me lembrou algumas conversas tidas com meus amigos arquitetos sobre o valor da nossa profissão. enquanto éramos filiados ao CREA deveríamos ser tratados, salarialmente falando, como os engenheiros. mas o mercado capixaba nunca entendeu assim. ou nunca quis entender.

agora temos uma entidade própria, o cau, e uma questão em aberto - quanto vale o nosso trabalho? o mesmo que de um engenheiro? mais? menos?

voltando ao episodio de o negocio (nº07), num programa a personagem Karen sai com um empresário de sucesso $$. eles jantam, conversam e pimba! na manhã seguinte, quando a conta do hotel chega, ela percebe que na noite anterior ela foi a o item mais barato. em números: R$ 5.000,00 o vinho, R$40.000,00 a suíte, jantar R$ 5.000,00 e o programa....R$1.000,00,
talvez seja assim que a maioria dos arquitetos se sintam o item mais barato do programa.
numa conta rápida, com dados médios, para um edifício multifamiliar com térreo, garagem, pilotis/lazer e 10 tipos, 80 apartamentos de 02 quartos com suíte, área construída final de 6.000 m2.
a um custo médio de produção de R$ 1.000,00 o m2 o edifício chegaria a um custo final de 6 milhões.
80 apartamentos com valor de venda inicial de R$ 150.000,00 - que bem razoável para o mercado imobiliário capixaba. apos a venda tem-se o valor de 12 milhões de reais.
ou seja, gastou-se 6, vendeu-se por 12, pata ter um belo lucro de 6 milhões de reais.
a obra deve durar uns 36 meses. o engenheiro responsável da obra, com um salário de R$ 7.000,00, ao final da obra terá recebido R$ 252.000,00.
a tabela que deveria guiar o arquiteto é disponibilizada pelo IAB. por ela este projeto sairia pela bagatela de R$ 100.000,00. esse valor pagaria pelo estudo preliminar, pelo projeto legal e acompanhamento da aprovação junto à prefeitura, e especificações dos acabamentos. ou seja, 36 meses de trabalho.
R$ 100.000,00 dividido em 36 chega-se ao "salário mensal" de R$ 2.777,77.
Mas, os arquitetos não conseguem utilizar a tabela do IAB. na realidade, o arquiteto cobraria R$ 7,50 o m2, o que resultaria em um contrato de R$ 45.000,00, em 36 meses, um salário mensal de R$ 1.250,00.
O corretor - a água do cardápio - que vender o apartamento de R$ 150.000,00, numa venda que durará 2 dias, entre visita e papelada, leva uma comissão de 6%, ou R$ 9.000,00.

é pra realmente se sentir o item mais barato do cardápio.

ainda sim sou otimista. o mercado de trabalho é grande, e a disposição para lutar pelo reconhecimento do oficio é maior ainda.


e, com certeza, da pra ganhar dinheiro com arquitetura. 
Né não Oscar? né não Calatrava? né não BIG???


quinta-feira, 25 de julho de 2013

premio da arquitetura capixaba - archichatus award

caramba, o tempo passa muito rápido. o tempo voa.
primeira postagem de 2013, e já passamos da metade do ano. mas vamos lá. blogar, pra mim, é aquele prazer insubstituivel, por mais que a terra gire, nada o substitui. 

so, go on! [então, vamos lá!]
acho que la pelo ano 2001 o espirito santo tinha uma revista de arquitetura, a imagem urbana. como toda revista de arquitetura, ela vinha recheada de arquitetura capixaba. a ideia de uma revista local também é uma daquelas ideias que não saem da minha cabeça, anotem, um dia chegamos lá! enquanto isso, por que não aproveitar este espaço para publicar os prédios que me comovem, aqui na grande vitoria?  
não tenho plantas, nem cortes, nem vistas, nem notas do autor....tenho fotos. 
e aceito sugestões. 




obra 01 - essa casa já não existe mais. deu lugar ao estacionamento do restaurante ao lado. minhas fontes, vai se saber se são seguras, disseram que esta casa pertenceu a um arquiteto, que a construiu no tempo em que podia ver o mar da praia da costa. nas minhas idas e vindas pcosta-jcamburi, o que me chamou atenção foi a moldura de arestas arredondadas, da porta principal. confesso que o aspecto de abandono também chamou bastante a minha atenção. (esquina entre av. hugo musso e r. ceara)


obra 02 - essa casa fica na av. champagnat, e o interessante dela é o telhado uma agua, a fachada revestida com pedra e com as esquadrias de madeira, venezianas,...
a av. champagnat tem muitas casas remanescentes, e confesso que muitas delas me interessam. na maioria destas casas o terreno esta em declive, e por mais que existam variaçoes da forma, elementos como os revestimentos em pedra ou ladrilhos, esquadrias/venezianas em madeira, se repetem. 


obra 03 - edificio comercial localizado na rua henrique moscoso. a solução inusitada da fachada em plano inclinado e com o recorte organico se destacam dos demais edificios do entorno.


obra 04 - esta casa fica na rua desembargador augusto botelho na praia da costa, principal bairro de vila velha para os grandes edificios residenciais. o telhado embutido, as linhas retas da fachada, as venezianas em madeira na cor branca e a composição dos azulejos verdes determinaram a premiação (minha premiação) a esta residencia.

parabens a quem as projetou. parabens a quem contratou os projetos. com certeza nossa cidade ficou mais bonita.

[obrigado google street view por possibilitar a brincadeira]

sábado, 11 de agosto de 2012

"a cartilha" - sonho nº 01

a culpa não é do tempo, é minha mesma...da minha organização do meu tempo...mas o sonho continua vivo. a série agora poderia ser intitulada de "doou planos, doou sonhos". preciso de sócios, preciso de executivos, preciso de $$, preciso de tempo. como os sonhos não se apagam, prometo mante-los vivos dentro de mim. 

como ouvi do tecnico bernardo rezende - o bernardinho: sonhar grande e sonhar pequeno exigem o mesmo esforço.

sonho nº01 - a cartilha. porque descobri nestes ultimos tempos que mais importante do que construir cidades sustentaveis, acessiveis, saudaveis e bonitas, devemos formar cidadãos conscientes de seu papel. para a cidade do futuro, para uma cidade melhor, pessoas melhores.












terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

pro dinheiro público: sempre é muito!!!

Caro e barato são sempre questões de referência.


Mais caro do que o que? Mais barato do que o que?


Os jornalistas televisivos capixabas não tratam a questão desta forma. É só uma câmara de vereadores sinalizar um aumento de salários - que beneficiará os eleitos da próxima eleição - que estas comparações são destacadas ao máximo. 


Mas a perguntar que a maioria da população não sabe responder é: qual a função do vereador por município? Que ele ganha muito, isso todos já sabem. 


Por mais que as leis brasileiras sejam defasadas, são elas que regulam o funcionamento do nosso estado. E, por lei, as câmaras podem utilizar até 5% da arrecadação do município. E se o aumento dos salários dos vereadores esta dentro desta margem, é legal; mesmo que não seja moral.


Então, legalmente falando, sim, eles podem.

Um conselho grátis - que uso diariamente pra mim mesmo:

"temos que enxergar além do aparece, ver o contexto, a história, o sentimento, o que há por detrás."



Não digo que eles mereçam, talvez sim, talvez não, mas prefiro me conscientizar que a discussão deve ser outra - o verdadeiro papel dos vereadores, deputados,...


Informação nunca é demais, e opinar com a certeza da pesquisa bem feita é muito melhor.


#ficadica


P.S.:Na verdade este post era sobre a discussão do momento, na RMGV, que foi o custo dos quiosques da Praia de Camburi [20º16' S 40º17' O], tratado, da mesma forma, superficialmente pelos jornalistas capixabas. Fica pro próximo POST.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

autoconstrução e a tv


Só eu quem acho que esta propaganda é um estimulo a autoconstrução???? Sério?!
Um camarada com uma prancheta na mão, numa obra com a parte estrutura praticamente pronta, definindo onde serão os comodos da casa?!?!
Que metodologia de projeto é essa?!?!?!
Pelo menos o camarada esta usando os EPI´s.

Recanto do guerreiro...sei.
P.S.: propaganda sem fins lucrativos, pra mim, pleo menos!

????????????

Caramba, o tempo passa e nada de postagens novas...


Elas até que vem a cabeça, mas não conseguem entrar aqui no BLOG.


Preciso aprender a compartilhar com mais velocidade: video-blog, cartilha-urbanidade, a cidade, a propaganda da tigre, ONGS, OSCIPS, moradia popular, novas tecnologias, arquitetura, arquitetos, CAU, IAB, plano de negócios, ativismo social, ...vixi...qndo eu digo que são muitas, são muuuuuuuuuitas.


Nem sei por onde começar...mas tive uma idéia...(rs!)


E lá fora a chuva que não para!!!


Saudações mil...

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

um chato pela cidade...

Algumas notícias me chamaram a atenção nesta ultima semana envolvendo a região metropolitana da grande vitoria.

A primeira falava do novo sistema de transporte, novo mesmo. até o nome será diferente. quer dizer o sistema modal é o mesmo mas a estrategia de funcionamento parece ter evoluído.


A materia nao falava em valores, mas pela descrição da tecnologia a ser utilizada fiquei curioso em saber o custo desta reformulação. O falecido metro de superfície, ou VLT, exigiria um aporte de investimentos da ordem de 1 bilhão de reais. E como é sabido, as obras públicas brasileiras são tao mal planejadas que é quase impossível executar alguma coisa sem que seja necessário fazer aditivos de contrato ($$$). 

Vida que segue, e Estado - em sua forma mais plena - que não consegue investir na cidade, e esperar o retorno para bem depois das eleições. 



A segunda um projeto de lei de um sabio vereador da capital que determinará os horarios em que se poderam fazer obras na cidade: a noite, em fins de semana, e feriados. obra é sempre obra. mais um vez a visão limitada dos legisladores municipais, que só conseguem ver os transtornos de hoje, e não os benefícios do amanhã.

agora imaginem a situação: se todas as noites, nos sábados, domingos, feriados, em frente a sua humilde residência, tratores, rompedores de concreto, de asfalto, picaretas, etc, trabalharem arduamente ??? que cidadão em dia com seu IPTU vai "curtir" - no face é claro - este momento? 

Não tenho certeza, mas desconheço equipamentos de obra que possuem o modo silencioso. 

Isso parece mais coisa de vereador que que mostrar trabalho, e que ao invés de vigiar o executivo, o prefeito e seus secretários, passa seu tempo criando leis sem sentido, como tantas que já existem.

Um dia eu me candidato!

A terceira, é a tão sonhada rua de lazer. A iniciativa parecia boa, se não fosse um pequeno detalhe: o que fazer com o transito desviado?!. 

A maioria das capitais interdita um sentido do trafego, e divide o outro sentido, ou seja, o que normalmente é uma única mão de trafego passa a ser dois sentidos. Claro! Domingo, dia de folga, movimentação menor de veículos,  é plenamente funcional fazer isto.

Masssssss!!!!!! A prefeitura da cidade, experta que só, ao invés de praticar o principio acima, apenas desviou o trafego para o interior do bairro Jardim da Penha. Um bairro cujo desenho urbano é radial, baseado em muitas praças circulares e que se ligam.   Fácil, fácil de se movimentar, principalmente para os motoristas de ônibus, daquele sistema mencionado lá no inicio do post, que pouco ou nada conhecem do interior do bairro. 

Pô PMV, na hora de tirar o 10.

Por hoje é só...dia de sol, chega de chatisse.

Beijos, abraços e boa semana.




segunda-feira, 18 de julho de 2011

video blog, take 01 - versão 1

Bom dia.

Na incessante saga de criar vídeo-postagens a primeira opção seria em adotar as mensagens impressas sendo alçadas por minha pessoa, ao som de musica popular ao fundo. Mas em tempos de sustentabilidade (em suas "6 dimensões", by T. Venâncio - ???), por que não adotar versão menos narcisista e mais ambientalmente econômica?! Claro que as mensagens seriam impressas em folhas de rascunho, aquela em que um dos lados já foi utilizado, mas se pode-se fazer tudo em versão digital, por que não né...

Ainda sim farei a versão 2, mais a frente.

Como a internet também é conhecida pela sua capacidade de interatividade deixo para meus 4 leitores regulares a oportunidade de manifestarem suas opiniões a cerca da melhor opção para as vídeo-postagens.

Boa semana e beijos no coração!



Musica: Ananda, Casaca.
Fotos: Acervo pessoal mesmo.


terça-feira, 17 de maio de 2011

Nossa, quanto tempo...há tempo que não posto, e nem é por falta de idéias, é mais falta de organização, desse tal de tempo...mas hoje não resisti.

Meu Sonen agora é produzir as vídeos postagens [aquelas prometidas há tempos atrás], na verdade uma série de vídeos, que tratem da questão urbana e do papel do cidadão. Idéias no papel...aguardem e confiem!

Mas hoje o tema é rede social. E cidade. E cidadania.

Dias atrás [6 de maio de 2011], aqui em Vitória/ES, um movimento contra o aumento do preço da gasolina foi divulgado, preparado e organizado utilizando estas tais novas ferramentas de comunicação.

O movimento incentivava aos possuidores de veiculo automotor a pararem em certo posto de gasolina e pedirem ao frentista que lhes abastecesse o valor de R$0,50 e retirassem o cupom de pagamento. Pois, segundo os organizadores o valor adquirido do produto não compensaria os custos da produção do cupom fiscal solicitado.

Ora, cá fiquei pensando com os meus botões: não seria mais interessante que esse movimento incentivasse a carona solidária? Ou que condutores/possuidores   substituíssem ao menos uma vez na semana seus veículos individuais pelo transporte coletivo???


Entre emitir menos CO2 e prejudicar um empreendedor individual - não no sentido literal da expressão - que gera emprego e é bem taxado pelas contribuições fiscais (afinal tudo tem um lado positivo mesmo), qual será o melhor/maior beneficio?

Se é pra usar o nosso tutano não seria melhor utilizar em causa mais nobre?? Que beneficie o maior numero de pessoas, e prejudique o menor numero...

Tsc!

Cda vez me convenço mais, de que entre investir nas cidades e investir nos cidadãos, será mais eficaz para o futuro aplicar recursos e esforços no homem...na mulher...no humano.

Saudações tricolores...abraços carinhosos!



sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

uma ideia que não me sai da cabeça




PARA EFEITO DE PESQUISA, VOCÊ QUE MORA NA GRANDE VITÓRIA-ES E TEM COMPUTADOR, OU PARTES DELE, QUE NÃO UTILIZA MAIS, POR FAVOR LEVANTE A MÃO. (LEANDROFRG@HOTMAIL.COM)
E LEMBREM-SE, É SÓ PARA EFEITO PESQUISA.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

edgard gouveia jr + tedx

um dia gente chega lá também.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

as cidades e o amanhã

“Se planejamos para um ano, plantamos arroz. Se planejamos para dez anos, plantamos árvores. Se planejamos para cem anos, preparamos pessoas.”


Quando me deparei com essa frase, de repente, a lamparina se acendeu em minha mente. Talvez uma das reflexões pelas quais passa um estudante finalista de urbanismo [e arquitetura] seja: qual operação urbana posso fazer pra melhorar a qualidade de vida da minha cidade???

Os problemas urbanos são muitos, mobilidade, infra-estrutura, lixo, qualidade ambiental, serviços, etc. O que amplia a nossa capacidade de projetar sobre o espaço urbano existente, sobre os desafios existentes.

A regra do capitalismo, e da cidade capitalista, é a lei da oferta e da procura. A cidade existe para oferecer as condições materiais necessárias aos seus cidadãos, mais do que existir, de ser feliz. Como a constituição americana diz: o direito a ir em busca da felicidade. A condição de cidadão de pertencer a comunidade, de se sentir inserido, respeitado, notado e útil.

Ainda não posso provar [quem sabe o dia em que for um doutor]. Mas acredito que para construirmos melhores cidades, devemos plantar pessoas. Bons frutos. Sei que o trabalho é demorado, longo. Mas como todo bom brasileiro [e como o Ronaldo!] eu não desisto. Não paro nem de sonhar. Construir cidades eu aprendi, mas preciso mesmo é me especializar em construir pessoas, cidadãos urbanos. 

Nota: O título do filme "À Procura da Felicidade" foi tirado da constituição americana. Escrita em 1776, o texto diz: "Todos somos iguais, e temos os mesmos direitos... A Vida, Liberdade e à procura da Felicidade".

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

primeiro do ano

andar pela cidade é um estimulo a imaginação de um futuro urbanista.

o caso de hoje é uma percepção q a tempos me intriga. a travessia de pedestres em frente ao shopping praia da da costa [vila velha, es].

ponto um: travessia estreita para o fluxo de pedestres e ciclistas, assim como o sistema viario trabalha com baixo uso a maior parte do tempo, talvez aquela travessia funcione da mesma forma, a coincidência é toda vez que passo por lá a situação é a mesma.

ponto dois: com obstaculos, ja que no meio estao os postes ddos sinais de transito.

ponto tres: pela poluiçao do canal da costa, e pela quantidade de esgoto lançado sem trat
amento no canal, pode-se imaginar o mau cheiro que marca o lugar, principalmente nos dias de calor intenso e sol a pino.

ponto quatro: o tempo dos sinais. talvez tentando imitar a travessia em frente ao shoping vitoria [vitória, es]. so sei que os tempos dos sinais é diferente, ou seja, enquanto um
abre o outro fecha, e fica a pergunta: porque? assim somos obrigados a desfrutar daquela ambiência
urbana privilegiada (ironia!), o barulho dos carros, o calor do asfalto e o cheiro do canal. não parece a mais difícil das intervenções, mas gentileza urbana também se aplica a prefeitura do município.

sugestão: ampliar, ajardinar, sobrear, flores perfumadas e sinais sincronizadas e de duração suficiente.

fica a dica, e por enquanto é de graça.

o ano esta só começando...abçs a tds!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

brincando de sebrae...


não sou especialista em marketing e vendas, mas como um bom curioso tenho alguma noção.

hoje, enquanto voltava da casa do papai noel - das compras de natal - me deparei com uma situação que, quando se repete, me traz pensamentos que despejarei aqui, hoje.
situação: aqueles ambulantes que entram no onibus e ao invés de oferecerem o produto, destacarem as características positivas, que nos fariam compra-lo, que conquistariam a qualquer cliente...mas não.

erro 1: apresentação pessoal.
erro 2: comunicação e abordagem ao cliente.
na maioria das vezes, os ambulantes entram no ônibus e parecem suplicar nossa atenção e que suas vidas dependem daquela venda. isso pode até ser verdade mas não precisa ficar explicito.

a lição maior seria: vocês não estão pedindo. vocês estão trabalhando, são vendedores, são empreendedores. existe uma grande diferença entrem esmolar e vender, portanto; VENDAM!!!

sejam educados, corteses, e dentro das possibilidades tenham a higiene em ordem. deem bom dia, e educadamente ofereçam o que tiverem as pessoas. não precisam alterar a voz, quanto mais ameno forem, melhor.

tratamento individual também aproxima a relação do vendedor com o cliente, e é muito melhor do que alguém que grita com uma multidão.

bom, seguindo o mínimo de conhecimento e o bom censo tradicional, estas são as minhas dicas. certamente há outras, mas o importante é ser melhor a cada dia. boas vendas e força na peruca!!!!




segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

o fim de um ciclo

assim indica o titulo deste post: é chegado o fim de um ciclo. ao final do mês de abril de 2011 o ciclo de formação profissional se encerra, para assim, iniciar o ciclo de atuação profissional e de transformação da realidade. Feliz e ansioso, para deixar completo este momento - formatura - vem a tradicional rifa de formatura. com sorteio marcado para o dia 15 de janeiro de 2011, e por apenas R$4,00 (rsrs) todos poderão contribuir com este momento. o prêmio?! um HD EXTERNO DE 500 GIGAS DA SAMSUNG + 01 ANO DE ANTI-VÍRUS GRÁTIS. interessou????? beijo e me liga.

descrição técnica:
-Tempo de busca: 12ms;
-Tempo de latência: 5,6;
-Compatível com PC e Mac;
-Interface: USB de alta velocidade;
-Capacidade de armazenamento: 500GB;
-Buffer: 8MB;
-Velocidade de transferência de dados: 480Mbps;
-Velocidade de rotação: 5.400 rotações por minuto;
-Requisitos de sistema: Windows 2000 Pro, XP, Vista e 7;
-Conexões: USB 2.0;
-Alimentação: USB;
-Material do case: plástico;
-Consumo: 2,5W.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010


Tempo sem postagem. A idéia do videoblog ainda não funcionou, mas o sonho continua. Alias, de idéia, venho me a vontade de construir meus próprios panfletos, o que acham???
2011 se aproxima, o que será que há atras desta porta????
Até breve

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

pgeando ao vento...


Carta de intenções:
Mais do que um trabalho final de graduação, este trabalho é uma reflexão minha sobre o futuro da minha cidade, sobre a minha profissão, sobre a minha formação, sobre o meu percurso dentro da universidade, sobre a missão como homem na sociedade.
Capacidade de produzir respostas para a cidade em forma de projetos todos nós estudantes/formandos temos. Mas às vezes é preciso ir além. No período acadêmico, por vezes nos colocamos no papel do Estado: interferindo no espaço urbano conforme nossa intuição. Claro, intuição carregada de ciência e de vivencia, cujo objetivo no final é comum a todos: sempre transformar aquela realidade para melhor, fazendo das pessoas que ali vivem, ou passam, sejam mais felizes.
O arquiteto trabalha de forma complementar. A multidisciplinaridade do curso de arquitetura e urbanismo nos mostra quantas é a variáveis que nos cercam que a própria cidade e a vida nos impõem. Limitar-nos a projeto e a desenho é um "big" desperdício. Acharmos que somos os donos da verdade, os únicos capazes de compreender e responder as necessidades da cidade também é exagero, ou mais do que isso, o determinismo impositivo inerente a profissão - banho é aqui, dormir é ali, comer é acolá - pode ser entendido como brincar de Deus.
Eu quero mesmo é brincar de homem. De homem de verdade, que não vem ao mundo a passeio, mas que assume a postura de transformar a realidade a minha volta. Eu quero fazer a diferença. Eu quero ser diferente. Eu quero ser mais uma peça, quero somar as que já existem só pra no final eu dizer: eu participei, eu ajudei a construir!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

panfletar



movimento lançado por um grupo de pesquisadores da fau ufmg. desde a primeira vez que vi este site (http://www.mom.arq.ufmg.br/)comprei imediatamente a ideia. o pensamento é fazer o mesmo em minha cidade, em minha universidade...cruzem os dedos, pois a ideia é otima.

boa semana a tds!

terça-feira, 13 de abril de 2010

não fala sobre arquitetura, mas vale a pena

video

talvez mais importante do que falar sobre a cidade e sobre arquitetura, este blog e meus "longos" (ou não tão longos assim) discursos tem a intenção de atingir a alma, e de fazer vc, r(c)aro leitor pensar...

recebi esse video por email e pensei, que antes de inaugurar o videoblog, em compartilhar a mensagem.

não sei se a fonte é verdadeira, mas neste caso, o que valeu foi a intenção...

Sds s tds!!!

segunda-feira, 1 de março de 2010

Bingo "Embromation"

video

1º vídeo...axo q outros viram, e quem sabe um dia isso aqui se torne um videoblog...

Essa é umas das propagandas mais interessantes que eu já vi, e tem tudo a ver com a minha escolha profissional. Parece que desde o PA1 (1ª disciplina de projeto de arquitetura da faculdade) somos treinados a discursar dessa forma...rsrsrs...ou não!

Boas risadas,

Sds a tds!

terça-feira, 21 de julho de 2009

conhecendo os brasis

(ê saudade...)

como todo bom arquiteto, ou quase, em minha ultima viagem, a cidade de curitiba, mais do que conhecer os pontos turisticos, me interessa conhecer a cidade, sua arquitetura e sua dinamica.

como o que move o mundo - segundo a globo e o cnala futura - sçao as perguntas não as respostas, meu sistema cefalar voltou ebule, com a pergunta que não quer calar:

porque um estado com avantajado complexo portuário, como o porto de paranagua (vide google earth), se constroi na cota de 1000 m. de altitude?

porque trocar uma região, onde a temperatura média diaria é de 20°, por uam onde amanhece a 12° e anoitece a 8°???

...

claro, consideremos importante a colonização dos eurpeus do norte, mas....ainda me faltam justificativas. quem sabe voce, meu leitor assiduo (rsrs!), possa me ajudar a montar essa teoria.

ja que a moda é o tal do tãnãnã participativo, encaremos este momento do blog como isntante de interação.

a unica certeza que trouxe na minha singela bagagem de 19 kg. é de que quanto mais conheço os brasis, mais acredito ser vitória/es a melhor cidade do brasil para se viver. não entrarei no merito neste post, mas prometo defender os meus numa proxima oportunidade, ok?!
"evitar o desperdicio, ser moderado, fazer economia e tudo poupar são praticas do bem"

sábado, 7 de fevereiro de 2009

valor ao que é da terra...


(postagem rapida, mas postagem nova!)

A algum tempo venho matutando em minha caxola a importancia de uma publicação capixaba que aborde arquitetura-urbanismo-paisagismo-design produzidos neste estado. Nas estantes da biblioteca do cemuni III/Ufes podem ser encontradas exemplares da revista IMAGEM URBANA, que cumpria esse papel.

Hoje, quendo folhio uma AU ou uma PROJETO fico admirado com a quantidade de fornecedores, de programas, de propagandas, em geral...dai penso (ou em gauchês: penso, dai):

Sera que esse mesmo estado, que ate pouco tempo, produzia empreendimentos imobiliarios as pencas, não possui tantos fornecedores quanto uma revista especializada precise para sobreviver???

hã?!


Enquano estas devagações não se materializam, tomei uma decisão. Ou duas, três,...Aproveitarei da incrivel popularidade do neu blog para postar edificio/predios/construções que, para minha pessoa, mereçam considerações, por sua relevancia na paisagem espirito-santense.

Pra começar, uma previa, feita pelo meu personal phone. Prometo que as proximas viram acompanhada de comentarios - meus pelo menos.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Viva a arquitetura!!!!!!

Que saudade....há tempos não posto no blog...não falo de arquitetura...mas como toda mente questionadora, não posso me mostrar inerte a tudo que ouvi agora a pouco....


a orla de camburi, ou uma parte dela, está em obras, e os equipamentos de apoio aos usuários, os qiosques, ainda nem estão definidos.


Digos isso, pois, a Prefeitura de Vitória depende dos pareceres dos Ministérios Público federeal e dos órgãos ambientais competentes aprovarem o "novo" projeto.


Escrevo hoje, com certo conhecimento de causa. Sem querer, numa das minhas folgas escolares (rs!) , deparei-me como uma enorme estrutura branca, planada sobre as areias de cambú - para os íntimos né. Longe de ser um OVNI, todo aquele aparato era uma consulta que a Prefeitura fazia a populção capixaba, vitoriana, ou que ali transitava, uma consulta sobre a nova urbanização da orla. Lógico, se comparada as pedrinhas portuguesas, e os quisques sujos e descaracterizados que existiam, a tarefa não seria difícil.


Um tempo depois, esse mesmo projeto foi apresentado lá. No centro da prepotência capixaba: o CEMUNI III. Obviamente as críticas forma muitas, inclusivces minhas, mais pelo carater elitista que se procurava. Isso mesmo, cambú do alto de sua magnitude paisagistico-ambiental ganharia melhorias para acolher aquela população que se encontrava afastadas das areias. Vitória não teria um piscinão de ramos, mas ansiava o nascimento do leblon (desculpem qualquer erro socio-geográfico mas não conheço nada do Rio ok?!).


Segregação?!?! Mais ?!?! Será que as cidades brasileiras já não o são o suficiente? democracia é votar de 2 em 2 anos?...Como diria o sabio profeta carioca (o grande m]Marrentinho Carioca): Fala sério, ai!


A esperança é a última que morre. A minha, ta na UTI.


Hoje ouvi da boca do secretário de desenvolvimento da cidade (minuscula mesmo) e de um procurador da união que PRAIA não tem que ter nada, além de calçãdão.Como assim?. O "novo" projeto de cambú, denominado G4 - Geração 4, terá apenas 07 módulos de alimentação. Uma média de 300 a 500 metros uns dos outros. 07! Ressalatndo que anteriormente tinhamos uns 20.


Putz....


Ta ficando muito grande isso aqui....Tem assunto mais mais um post....



Não posso deixarde falar das Olimpíadas de Pequim (2008). Pode e deve ser constestada, mas quanta "bunitezaaaa". Lindo! O Destaque vai para o Beijing National Stadium, ou, o Ninho do Pássaros. Ontem enquanto assistia ao Homem Aranha 3, passva no NGN, um documentário sobre a construção do estádio. Exepcional! O momento em que eles retiram as últimas escoras do "ninho", sem saber se eralmente ele vais se suportar...aquela tensão...muito manero, pra no fim, dar td certo. A linguagem contemporânea que os chineses imprimiram em suas arquiteturas é de arrepiar.
E O Brasil?!...
Tá de parabéns...afinal 15 medalhas, são melhore do quye 10 (Atenas, 2004). Na minha teoria a ZICA tava solta. Ou vocês acham que Copa do Mundo e Olimpiadas no Brasil iriam passar despercebidas pelos Deuses do Olimpo????. Se todos os ouros esperados (volei masc, futebol masc. e fem., diego hipólito, rodrigo pessoa, voleis de praia; faz as contas agora!) teríamos ficados entre as 10,ou 15, forças do esporte mundial. O Brasil? Força mundial do esporte? Com o tanto que se investe aqui....
Brasileiro tem que parar de achar que prata e bronze são deméritos, e valorizar o esforço e a entrega dos nosso heróis. Talvez mais importante que fim sejam os percursos, pra quem tem sabedoria para observa-los nas minucias.

Carpe diem.

quinta-feira, 27 de março de 2008

Que venha 2008...

Os dias passam e as idéias se multiplicam. Confesso todo dia entrar no meu blog, ansioso em encontrar um comentário daquele leitor, que errante pelo mundo digital, se deparou com vosso blog (momento autruísta), e incendiado por minhas críticas, não exitou em deixar um comentário....droga!
Confesso também sentir inveja daqueles que dominam o mundo digital, constroem pages sofisticadas, animadas, coloridas, personalizadas...que conseguem conquistar um segundinho da atenção dos anônimos do mundo virtual, quando não, ganham status de celebridades, ainda que instatâneas, e conquistam as páginas do caderno 2...
Um dia quero ser gente grande, quero que meus sonhos/planos/projetos se tornem realidade, o fato é: deles, não consigo cuidar sozinho, nem quero, preciso dividi-los com os novos, os velhos, com os que também os desejarem. Num momento como este é que eu gostaria possuir a eloquência de Roberto Jeferson, ou Bob Jeff (lembram-se dele?!?!).
...
Pra quem não tinha o que escrever, até que fiz bastante...Prometo ser mais duro (huuum!) da próxima vez, com os que merecerem. E em homagem aos meios 17 leitores, segunda ultima pesquisa IBOPE, não me calarei, nem permitirei espasmos tão longo de tempo sem postar...sem criticar...sem...

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Necessidade desmedida...

Assim como Natal, vestibular tem todo ano...
Sem esquecer de dar as graças, mas é hilário ver todo ano, assim como via antes de o fazê-lo, a euforia/alegria/tensão/desespero daqueles envolvidos nesse processo de seleção pouco compreendido - ao meu ver, é claro!
Acho que "tosko" mesmo, são os pais/familiares que aguardam 4,5,6 horas por um vestibulando...sem ter nada útil para fazer, economizando 2,16 L. de gasolina (R$ 5,83 ou 25,92 Km.), dando entrevistas vazias e repetitivas. Aí vem a pergunta: PRA QUE?? (e imaginem a entonação de Pepe zuando Mumu...rsrs: http://www.youtube.com/watch?v=qe2oJ7zKJPc&feature=related).
Será que todos os indivíduos, vejam bem, da sua familia nasceram para cursar uma universidade? 5 anos absorvendo informação, lendo livros, pesquisando (e nem adianta procurar o ZÉ MOLEZA.COM porque ele cobra agora!), para, lógico, praticá-la nas cidadãos que tão suadamente pagão seus impostos, estes que financiam nossa educação: ou algém conhece algum mestre que seja filantropo e dê aulas somente por amor ???
Uma pena é que apenas os médicos são obrigados a devolver, em forma de práica, o benefício que recebem; afinal, todos os estudantes do ensino público superior são agraciados com o ensino gratuito de qualidade (sendo esta discutível em algumas instâncias).
As pessoas deveriam mesmo é aprender a ser úteis, com o nível de informação que lhe for inerente, que lhe for possível processar - compreender e executar. O problema é dinheiro: quem nunca viu um jornaleiro do RJ que dá consultoria de marketing/vendas para PhDs?
Momento conselhos gratuitos:
  1. Nunca confiem no binário (IN)FORMAÇÃO - DINHEIRO. Ele nunca foi comprovado;
  2. Façam com prazer, o que tiverem que fazer. Pode ser que tenha que fazê-lo o resto da sua vida;
  3. Leve consigo o que quiser, afinal, a satisfação é mais sua do que dos outros.

Feliz Natal!